News

Equipes de resgate vasculham escombros após mais de 300 soterrados em deslizamento de terra em Papua Nova Guiné

O deslizamento de terra bloqueou o acesso às comunidades afetadas, tornando os helicópteros a maneira mais fácil de chegar à zona do desastre.

Equipes de resgate chegaram ao local de um enorme deslizamento de terra nas remotas terras altas de Papua Nova Guiné, ajudando os moradores a procurar centenas de pessoas que se temiam mortas sob enormes montes de entulho e lama.

“Neste momento, ainda estamos à procura de corpos que estão soterrados pelo enorme deslizamento de terra”, disse o líder comunitário Mark Ipuia à agência de notícias Reuters no sábado, acrescentando que “mais de 300” aldeões podem estar sepultados.

Até agora, apenas quatro corpos foram retirados dos escombros, disse um funcionário das Nações Unidas baseado na capital, Port Moresby.

O desastre atingiu a aldeia de Kaokalam, na província de Enga, na manhã de sexta-feira, quando muitos moradores estavam em casa dormindo, segundo autoridades do governo.

De acordo com a mídia de Papua Nova Guiné, pelo menos 1.182 casas também foram soterradas pelo deslizamento de terra na área localizada a cerca de 600 quilômetros (370 milhas) a noroeste de Port Moresby.

“Há muitas casas sob os escombros que não podem ser alcançadas”, disse Serhan Aktoprak, funcionário da ONU, que estimou que cerca de 3.000 pessoas chamaram o assentamento na encosta de casa.

“A terra continua a deslizar e a mover-se, e isso torna a operação perigosa para as pessoas”, disse ele à agência de notícias AFP.

Embora a área não seja densamente povoada, a agência humanitária CARE disse estar preocupada que o número de mortos possa ser desproporcionalmente elevado.

O deslizamento de terra também bloqueou o acesso às rodovias, tornando os helicópteros a única forma de chegar à área. A equipe médica de emergência, incluindo militares e policiais, também enfrentou dificuldades para chegar à área devido ao terreno acidentado e aos danos nas estradas principais.

Ao todo, mais de seis aldeias foram afetadas pelo deslizamento de terra na região de Mulitaka, na província, informou no sábado o Departamento de Relações Exteriores e Comércio da Austrália (DFAT).

“O Alto Comissariado da Austrália em Port Moresby está em contacto próximo com as autoridades da PNG para avaliações adicionais sobre a extensão dos danos e das vítimas”, disse um porta-voz do DFAT num comunicado.

Imagens nas redes sociais postadas pelo morador Ninga Role mostraram pessoas escalando pedras, árvores arrancadas e montes de terra em busca de sobreviventes. Ouviam-se mulheres chorando ao fundo.

O primeiro-ministro James Marape disse que as autoridades responsáveis ​​pelo desastre, as Forças de Defesa e o Departamento de Obras e Rodovias estavam ajudando nos esforços de socorro e recuperação.

O condado do Pacífico Sul é vulnerável a desastres naturais, incluindo fortes chuvas e inundações, bem como terremotos.

Em março, pelo menos 23 pessoas morreram num deslizamento de terra numa província próxima.

Moradores olham para uma casa demolida no local de um deslizamento de terra na aldeia de Yambali, na região de Maip Mulitaka, após o desastre mortal [AFP]

Source link

Related Articles

Back to top button